Pedrinho Eletromóveis

Pedrinho Eletromóveis

Rádio Princesa do Vale

Acompanhe a Rádio Princesa do Vale ao Vivo

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Energia elétrica ficará mais cara no Rio Grande do Norte.


                                    Reprodução
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu as novas tarifas da Cosern. O índice médio de reajuste para o consumidor foi de 3,38%. As novas tarifas entrarão em vigor para os 1,4 milhões de clientes da concessionária no próximo dia 22 de abril, mas o consumidor só irá perceber essa variação, de forma mais significativa, nas faturas recebidas a partir de maio. A informação é da assessoria de comunicação social da própria Cosern. Os consumidores atendidos em Baixa Tensão, que representam 99% dos clientes da empresa e incluem os clientes residenciais, terão um aumento médio de 3,08%. Já os consumidores Industriais e Comerciais de médio e grande porte, atendidos em Alta Tensão, terão reajuste de 4,07%, em média. Além dos valores de tarifas fixados pela Aneel, são cobrados na conta de energia, ainda, os impostos (ICMS, PIS e COFINS) e as Bandeiras Tarifárias, sistema criado pelo Governo Federal em janeiro de 2015 que considera, mensalmente, na conta de luz o preço da geração de energia de acordo com o nível dos reservatórios e possível acionamento das usinas térmicas.
Todos os meses a Aneel divulga a classificação da bandeira. Agora em abril, a bandeira vigente é a Vermelha Patamar 1, ou seja, acrescimento de três reais a cada 100 Quilowatts/hora por mês. Quem consome menos de 100kWh/mês, tem cobrança proporcional. Conforme definido pela administração municipal, também é cobrada na conta de energia a Contribuição de Iluminação Pública (CIP), tributo repassado pela Cosern diretamente para as prefeituras municipais, que são as responsáveis pelos serviços de projeto, implantação, expansão, operação e manutenção das instalações de iluminação pública. Do valor total cobrado na fatura, 22,3% ficam na Cosern para cobrir os custos de operação, manutenção, administração do serviço e investimentos. Os encargos setoriais e impostos continuam tendo uma grande participação nos custos da tarifa de energia elétrica, representando 40,6% da mesma. Já as despesas com a compra e transmissão de energia respondem por 37,1%. De acordo com a Cosern isso significa que, para uma conta de 100 reais, por exemplo, apenas 22 reais e 30 centavos são destinados efetivamente à Cosern para operar e expandir todo o sistema elétrico de distribuição de energia no Estado.

FONTE: BLOG ASSU TODO DIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário